Histórico

Pedro Antônio Grisa, desde criança é um inveterado pesquisador. Já lá na roça, onde morava com seus pais, observava como as Leis do Criador regiam a natureza.

Sempre foi um observador nato, de espírito analítico, e um curioso das coisas obscuras, veladas e, às vezes, mal explicadas ou mal fundamentadas.

Procurou permanentemente a resposta à pergunta, que deve guiar todo verdadeiro cientista: “COMO FUNCIONA”.

E nessa permanente busca de respostas aos mistérios que sempre habitaram as profundezas da mente humana, desenvolve um novo método para melhor compreender, analisar e orientar o ser humano, e por isso, nada mais adequado e justo, para o seu mentor e idealizador, que esse conjunto de conhecimentos e procedimentos, seja chamado de SISTEMA GRISA de Formação e Orientação parapsicológica.

O método SISTEMA GRISA compreende as dificuldades vivenciadas pelo ser humano como advindas de sua história de vida, cujos registros ficam gravados em seu subconsciente. Com base nessas e outras constatações científicas o SISTEMA GRISA assume o seu verdadeiro papel: contribuir com o desenvolvimento e a evolução do ser humano, na certeza de vislumbrar de modo claro e rico, amplo e objetivo, o complexo jogo de causas e efeitos presentes na história de vida das pessoas.

A fim de melhor entender o SISTEMA GRISA, em sua amplitude e profundidade, convém relatar alguns passos percorridos pelo fundador do IPAPPI e mentor do SISTEMA GRISA, Dr. Pedro Antonio Grisa.

A IOGA E UMA NOVA VISÃO

Em 1963, vivendo a experiência de noviço em Itapetininga (SP), é aconselhado pelo Mestre do Noviciado a estudar o livro Yoga Para Cristãos. A prática da Hata-Ioga soluciona rapidamente um grave problema de fígado que vinha atormentando o noviço.

O contato com a Filosofia Oriental e as experiências de Yoga despertam inúmeros questionamentos, especialmente de ordem religiosa e filosófica.

 

A FELICIDADE EXISTE?

No mesmo ano inicia uma longa pesquisa, tendo como objetivo “Descobrir se é possível ao Ser Humano vivenciar a Felicidade aqui no Planeta Terra, e com que intensidade e duração”.

Nove anos depois, em 1972, redige as conclusões finais dessa pesquisa, assim sintetizadas: “O Ser Humano vive em permanente luta entre duas Energias Opostas, duas fortes e permanentes tendências essencialmente contrárias”:

  1. A tendência que leva ao Egoísmo que vai fechando o indivíduo sobre si mesmo, desencadeando um processo de isolamento. É o egoísmo, concluía GRISA, que leva a pessoa a fechar-se em seus interesses imediatos e mesquinhos, tendo como conseqüências o despertar da vaidade, do orgulho, da inveja e do ciúme; caminhando o indivíduo para o isolamento em si mesmo, vivenciando as sensações do abandono, da rejeição e da angústia; caindo mais e mais no precipício da depressão e do desespero, para a morte, para o Inferno. “O Egoísmo, amigo, é o verdadeiro Diabo que te carrega para o inferno”.
  2. O Altruísmo é a Energia oposta que conduz o Ser Humano ao Encontro com os outros, trilhando o caminho da Paz e da Harmonia. Pelo Altruísmo o Ser Humano se abre para o mundo e para as outras pessoas e grandes objetivos. Vai entrando num processo cada vez mais amplo de colaboração, de fraternidade, de amizade, vivenciando as sensações da alegria, da coragem e do entusiasmo, escalando com firmeza e persistência os montes e as montanhas, atingindo os pícaros da comunicação tranqüila e da paz, conquistando a Harmonia e a Felicidade. “É guiado pela chama do altruísmo, amigo, que você pode escalar o píncaro da Felicidade e abrir as portas do Paraíso”.

 

CIÊNCIA E SER HUMANO

É na fase final dessa pesquisa que Grisa decide buscar uma nova visão do Ser Humano, alicerçando seus estudos e pesquisas em fundamentação exclusivamente científica, livre de princípios apriorísticos, religiosos ou filosóficos.

Mas uma questão fundamental se impõe: “Essa postura exclusivamente científica, não é própria do ateu?” A resposta surge clara como a luz do dia: Se “Deus é o criador do Céu e da Terra e de tudo o que neles existe”, segundo postulam todas as grandes religiões, algumas conclusões se impõem pela lógica da evidência:

  1. “Deus, como Criador do Universo e de todas as realidades cósmicas, é também o Criador de todas as Leis que regem o funcionamento do Universo Físico – Químico e da Natureza Viva”.
  2. “As Ciências nada mais fazem que descobrir as Leis que governam o funcionamento do Universo, do átomo às galáxias e do vegetal ao Ser Humano”. Portanto, toda a Ciência sempre identifica Leis e Princípios estabelecidos pelo criador, ou seja, Leis e Princípios Divinos.

Diante desta evidência, Grisa sente-se encorajado e tranqüilo, na busca de uma Nova Visão do Ser Humano, em bases exclusivamente científicas.

 

DESCOBERTAS, CONSTATAÇÕES E COMPROVAÇÕES CIENTÍFICAS DO SISTEMA GRISA

A partir da pergunta: Como funcionam os fenômenos Paranormais? Descobre-se:

  1. que os fenômenos Paranormais não têm origem no mundo sobrenatural ou espiritual e sim no Ser Humano;
  2. que a Paranormalidade (Mediunidade ou Sensitividade) não é Dom divino nem manifestação do mundo do além, é, sim, um potencial natural do Ser Humano, como tantas outras capacidades;
  3. que o verdadeiro agente dos fenômenos Paranormais é a Mente Humana;
  4. que a Mente Humana perturbada, quando o indivíduo vivencia grave ameaça à sua Sobrevivência, desencadeia poderosa Energia. Exemplos: Fenômenos de “Poltergeist” ou das casas consideradas mal-assombradas, pessoas que parecem estar possuídas pelo diabo, outros espíritos ou entidades…
  5. que a Mente Humana é capaz de desencadear a chamada “Energia Psi” capaz de atuar nos diferentes campos de energia:
  • a) da Física “ignorando”, por assim dizer, as leis da Gravidade e da Inércia, movimentando e fazendo voar objetos, nos fenômenos de casas ditas mal-assombradas;
  • b) da Química, desencadeando fogo, nos fenômenos de autocombustão e “combustão espontânea”; e é a emoção de raiva, especialmente contida, que produz “fogo mental”;
  • c) da Biologia, produzindo doenças “inexplicáveis” por sua violência e fatalidade ou por sua origem desconhecida; bem como produzindo as chamadas curas milagrosas ou espirituais;
  • d) da Comunicação, recebendo ou transmitindo informações ou mensagens que extrapolam as leis que regem o rádio, a televisão e a telefonia; como nos fenômenos Psi-Gama: Telepatia, Pré-cognição, Claripercipiência e Bilocação de Consciência (Projeciologia, Desdobramento ou Viagem Astral).

Constatada e comprovada essa fantástica capacidade que a Mente Humana possui de produzir a poderosa Energia Psi, surge a necessidade de formular-se uma nova pergunta: Como funciona a Mente Humana para desencadear a energia? Essa fantástica Energia Psi, capaz de desencadear a manifestação dos Fenômenos paranormais?

 

E NASCE A NOVA CIÊNCIA DA MENTE HUMANA

Sempre fundamentado na pergunta que rege todo processo de pesquisa científica, Grisa sempre à frente das pesquisas do IPAPPI, criador e mentor do Sistema Científico Independente de Pesquisa e Orientação Parapsicológica Dr. Pedro Antonio Grisa –SISTEMA GRISA, não teme nenhum desafio e formula a pergunta: Como funciona a Mente Humana para desencadear a Energia Psi?

Desafio, sim. E ousado desafio, pois aqui se traça a Linha divisória entre a Parapsicologia, como a nova Ciência da Mente Humana e as outras ciências que tradicionalmente estudam o Psiquismo Humano, como Psicologia, Psiquiatria, Psicanálise e Neurologia.

O parapsicólogo Pedro Antonio Grisa nunca esteve muito preocupado com o cientificismo nem com anátemas de academias, muitas vezes estagnadas ou engessadas por intocáveis paradigmas; e formula tal pergunta por dois motivos fundamentais:

  1. Porque descobrir como funciona é identificar Leis e Princípios que regem a relação causa-efeito, objetivo de toda pesquisa científica. Toda descoberta cientifica é permanente, como perenes são as Leis e os Princípios que regem o funcionamento do Universo e da Natureza Viva.
  2. Porque até a descoberta da Parapsicologia, especialmente do SISTEMA GRISA, de que a mente humana desencadeia Energia Psi, é uma descoberta absolutamente surpreendente, pois não se imaginava sequer que a mente humana pudesse produzir energia. Tanto que você já deve ter ouvido afirmações como: Isso não é psicológico, isso está provado que é biológico! ou Isso é físico, isso é pura coincidência.

Nunca se havia levado a sério, sob o ponto de vista científico, que a mente humana pudesse desencadear e canalizar energia. Muito menos se supunha que a Energia Psi pudesse atuar nos campos da física, da química, da biologia e da comunicação, rompendo os limites até então conhecidos por essas ciências.

E o SISTEMA GRISA rompe também os limites da Parapsicologia tradicional, tanto da Escola Católica, quanto da Escola Espírita, bem como da Escola Experimental de Parapsicologia. E isso somente foi possível graças às respostas dadas a essa pergunta.

Relacionamos a seguir as principais constatações, descobertas e comprovações científicas realizadas pela Parapsicologia Independente do SISTEMA GRISA sobre a mente humana e conseqüentemente sobre o Ser Humano:

1ª – A primeira grande comprovação feita pelo SISTEMA GRISA sobre a Mente Humana foi a constatação de que: A mente humana possui duas funções básicas:

  • O Consciente – a Função Racional,
  • O Subconsciente – a Função Mecânica.

Em linguagem popular, pode-se dizer que o SISTEMA GRISA descobre que o Ser Humano não é um, é dois, ou ao menos, funciona como dois: o Eu e o Robô Invisível.

Quem já não desejou estar contente e animado? E, sem querer, continua triste e sem ânimo? E quantos prometem mudar, afirmando que é decisão que vem do fundo do coração, e logo depois recaem nas mesmas falhas e fraquezas? É porque essa dualidade faz parte do próprio Ser Humano.

É o Eu-Racional, a pessoa enquanto gente, em luta cega com a Besta-Irracional e Mecânica, seu Subconsciente, o Robô Invisível.

Essa descoberta das duas funções da mente humana – racional e mecânica – traça uma linha divisória entre o SISTEMA GRISA e outros estudos, como as Psicologias, as Filosofias e as Religiões, estudos esses que sempre consideraram o Ser Humano um ser Livre, dotado permanentemente de livre arbítrio.

E eis o grande engano: O Ser Humano não é um ser permanentemente livre, pode vir a ser livre somente na medida em que compreender como funciona sua mente e aprende a comandar seu Subconsciente, deixando de ser regido por ele.

Por tanto, o Ser Humano somente é livre na medida em que cultiva adequadamente o Terreno Mental, doméstica a Besta-Interior, comanda o Robô Invisível.

 

PRONUNCIAMENTO DO PRESIDENTE DO IPAPPI SISTEMA GRISA
Prof. Dr. Pedro Antonio Grisa

Em 31 de outubro de 1984, com a participação de duas dezenas de voluntários e simpatizantes da Parapsicologia e estudos afins, era fundado o IPAPPI – Instituto de Parapsicologia e Potencial Psíquico. Entre os sócios fundadores fazem-se presentes Áurea Volpato (tornando-se a mais importante colaboradora nas pesquisas desenvolvidas pelo instituto da década de 1980) e Janice Marés Volpato (idealizadora e coordenadora da Escola Infanto Juvenil de Parapsicologia e Treinamento Mental).

Logo após a fundação do IPAPPI, o Prof. Octávio Melchíades Ulisséa – criador e mentor da FECEPASC e Campus Educacional “Bezerra de Menezes” – alertava-me ao falar-lhe da fundação do IPAPPI e seus objetivos:

- Cuidado, amigo Pedro, se você começar a dar atendimentos individuais como Parapsicólogo, você poderá ser questionado por psiquiatras e psicólogos…

O alerta do amigo Ulisséa sempre esteve presente, como “cuidado”, porém jamais como “medo”.

E cuidado sempre tive comigo mesmo e com todos os profissionais que comigo foram integrando a equipe do IPAPPI e o primeiro deles foi o psiquiatra Dr. Wagner Dias de Moraes.

Os cuidados maiores sempre foram em relação à seriedade e a qualidade dos serviços prestados.

O segundo cuidado sempre foi à contínua fundamentação científica das atividades do IPAPPI, tendo na ciência da Parapsicologia seu alicerce e sua coluna mestra.

O terceiro cuidado a pautar as minhas atividades pessoais e as do próprio Instituto foi o de “não colocar a carroça à frente dos bois”, “devagar se vai ao longe, depressa se quebra o bonde”.

E em minhas meditações e reflexões mais pessoais, pensava “cá com meus botões”: a conquista de novos horizontes só foi realizada por pioneiros audazes e atrevidos, persistentes e decididos, sempre alertas diante de possíveis perigos e buscando os caminhos mais seguros… E tem mais – espero que nunca aconteça – mas se acontecer de ser proibido de trabalhar como Parapsicólogo, crio a IGREJA DA HARMONIA UNIVERSAL. E ninguém me impedirá de gozar dos direitos invioláveis da liberdade religiosa.

A seriedade do trabalho desenvolvido no IPAPPI, sob minha coordenação e supervisão de minha esposa Adelaide Therezinha, vai difundindo-se e novos profissionais passam a integrar a equipe e outros prestam apoio ou estabelecem convênio.

Em 1985 o IPAPPI estabelece convênio de pesquisa na área da Radiônica e Energia das Formas com Pesquisas Parapsicológicas de Curitiba (PR) sob a Presidência de Harro Olavo Mueller, tendo como pesquisadores Monsenhor Vicente Vítola e o Pe. Miguel Lucas.

No mesmo ano, o Astrólogo Dr. Jaime Lopes Dalmau passa a integrar a equipe do IPAPPI e logo a seguir Frei Alvadi Pedro Marmentini, Padre Capuchinho, contribui com as pesquisas do instituto como profundo conhecedor da Parapsicologia da Escola Católica. Ainda no mesmo ano, inicia-se o trabalho de apoio e posterior convênio com Frei Hugolino Back, do Conventinho do “Espírito Santo”, em Santo Amaro da Imperatriz – SC.

Também em 1985, o IPAPPI recebe o apoio explícito do mais conhecido Parapsicólogo de Florianópolis, Pe. Evaristo Debiasi, e também do Diretor do ITESC – Instituto Teológico de Santa Catarina, hoje Arcebispo de Londrina/PR Dom Orlando Brandes, anteriormente Bispo de Joinville/SC.

Em 1986 o IPAPPI recebe apoio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Extensão Universitária da UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina, através do Pró-Reitor Diomário Queiroz.

Nesse mesmo ano, precisando de pessoa eficiente e dedicada, para gerir as atividades funcionais e administrativas do IPAPPI, consigo convencer minha esposa, Adelaide Therezinha Pozza Grisa, a assumir comigo as responsabilidades cotidianas do Instituto; e acontecia nosso segundo casamento, agora éramos nós dois que casávamos com o IPAPPI, e o Ed. João Moritz passa a ser quase uma extensão de nossa residência.

No mesmo ano é criada, a 19 de setembro, a LIPAPPI – Livraria de Parapsicologia e Psicotrônica, hoje denominada Livraria de Parapsicologia, Autoconhecimento e Auto-Ajuda. Ainda em 1986, o IPAPPI realiza, em fevereiro, o I Encontro Catarinense do Paranormal, e em agosto, o I Encontro Sul Brasileiro do Paranormal, ocasião em que pela primeira vez no Brasil, debatem, no mesmo encontro científico, Parapsicólogos das três escolas: Católica, Espírita e Independente.

Em 1987, em fevereiro e agosto, respectivamente, acontecem os II Encontro Catarinense e Sul Brasileiro do Paranormal. Ainda em agosto a médica Maria Aparecida de Souza, ex-vice-presidente do IPAPPI, acupunturista e pós-graduada em Medicina Chinesa, também ingressa em nossa equipe.

Em 1988, é lançado o livro A Cura Pela Imposição Das Mãos (com quatro edições no mesmo ano) e Liberte Seu Poder Extra é revisado e para sua 4ª edição recebe capa nova.

Nesse mesmo ano é criada a EDIPAPPI – Editora de Parapsicologia e Potencial Psíquico, de propriedade da LIPAPPI LTDA ME.

Em 1989 é criada Filial da LIPAPPI e extensão do IPAPPI na cidade de Blumenau – SC, tendo César Antônio Grisa assumido a gerência da loja e a promoção de cursos intensivos bimestrais.

De 1990 a 1994, Rosângela Pozza Grisa assume a divulgação de cursos e atividades do IPAPPI, período em que são realizadas as melhores reportagens e a mais ampla divulgação do Instituto.

E a história do IPAPPI continua sempre dentro de um ritmo intenso, lembrando que, paralelamente a esses fatos numerados, o IPAPPI desenvolvia pesquisas sobre IMPOSIÇÃO DAS MÃOS, Piramidologia e Fenomenologia Paranormal, tendo como carro-chefe, a pesquisa sobre Parapsicologia e Personalidade.

Em 1990 é lançado o livro Paranormalidade Para Todos, agora reeditado e subdividido em dois livros, Paranormalidade um Potencial Mental, já lançado e Paranormalidade, Transe e Estados Alterados de Consciência, ainda em elaboração; e, em 1992 o livro O Jogo e a Estrutura das Personalidades.

Novos cursos, novas gravações de fitas, novas obras publicadas, novos profissionais: Ilséte Heiderscheidt, Henrique Dalló Pagnoncelli e César Antônio Grisa, integrando a equipe, artigos e reportagens publicadas em revistas e jornais.

Em 1993 e 1994 com apoio e persistente incentivo de Frei Alvadi Pedro Marmentini, decidi, com a anuência da equipe de profissionais do IPAPPI, realizar quatro seminários sobre Fenomenologia Paranormal e Poder da Mente; Parapsicologia e Personalidade; Hipnose e Orientação Parapsicológica, os quais se constituem no anteprojeto do Curso de Aperfeiçoamento em Orientação Parapsicológica – CAOP – I, II e III Níveis.

Em 1995 tem início as atividades de formação do Orientador em Parapsicologia do SISTEMA GRISA com a primeira turma.

Em 1998 é criado o Sindicato dos Parapsicólogos Clínicos do Estado de Santa Catarina – SINPASC (registrado junto ao Ministério do Trabalho sob o n° 46000.002308/98). Em agosto desse mesmo ano, a primeira turma de caopistas conclui o curso, ocorrendo a Formatura da Primeira Turma de Parapsicólogos Clínicos do SISTEMA GRISA. Na ocasião, Ilséte Heiderscheidt lança o livro Pais e Filhos, Filhos e Pais.

Em 03 de outubro de 1999 Pedro Antonio Grisa defende a Tese de Doutorado SOBREVIVÊNCIA E PERSONALIDADE: Relação Existente Entre Fenomenologia Paranormal, Sobrevivência e Estrutura da Personalidade, junto à Universidade Livre das Ciências do Homem de Paris, recebendo o título de Doutor em Psicologia com conceito máximo. Esse fato pode ser considerado o reconhecimento acadêmico das atividades do CAOPe=”IPAPPI” >IPAPPI e do SISTEMA GRISA.

Em 1999 tem iníciCAOPCAOP em Volta Redonda – RJ.

Em março de 2002 é instituído o CAOP em Curitiba/PR e inicia-se a estruturação do IPAPPI Paraná. No mesmo ano ocorre a formatCAOPda primeira turma de Volta Redonda – RJ, e

Em 2004 éCAOPado o CAOP em Cachoeiro do Itapemrim/SC

Em 2005 é instituído o CAOP em João Monlevade/MG.

Em dezembro do mesmo ano o IPAPPI celebra convênio com a UNIVALI para realização do curso de pós-graduação latu sensu, especialização em Orientação Parapsicólogica Social e Institucional; por este convênio o IPAPPI ingressa definitivamente no ensino acadêmico.

Em 2007, o IPAPPI celebra convênio também com a USJ. E, agora em 2010, o IPAPPI – PR celebra convênio com a Faculdade Vicentina da Ordem dos Padres Vicentinos; bem como está para celebrar convênio, em Minas Gerais com Instituição de Ensino Superior de Juiz de Fora, mantida pela Congregação dos Missionários do Verbo Divino.

Quero neste momento prestar homenagem especial ao Professor Dr. Paulo Hentz que se empenhou para a celebração do convênio com a UNIVALI, a qual também somos sempre gratos por acolher o IPAPPI no mundo acadêmico, abrindo as portas de um novo tempo para nosso Instituto.

Mas nunca será demais lembrar que todas essas atividades e tantas outras, são atividades que tem a marca do pioneirismo, com suas limitações, mas também com sua grandeza, seus desafios, dificuldades e incansável dedicação.

Amigos caopistas, o alerta do amigo Ulisséa jamais foi esquecido. E sem termos o medo dos medíocres, jamais deixamos de ter os cuidados do prudente, contudo sempre esteve acCAOPa chama do pioneiro atrevido, que avança por caminhos nunca dantesCaoplhados.

Quero lembrá-los caros caopistas da turma Florianópolis CAOP/CEP – 2010, vocês já ultrapassaCAOPmarca da trigésima turma de Caopistas/Ceopistas do CAOP/www.sistemagrisa-rj.com/ipappi/” title=”IPAPPI” >IPAPPI e do BrasiCAOPorém, convém lembrá-los:

Quero afirmar a todos vocês e demais colegas presentes, que em breve, estarão sendo habilitados, ao final do CAOP I Nível em orientação parapsicológica social, ao final do CAOP II Nível em orientação parapsicológica institucional, ao final do CAOP I Nível em orientação parapsicológica Pessoal; serão investidos da profissão de Parapsicólogosicologo/” title=”Parapsicólogo” >parapsicólogo-terapeuta do Sistema Grisa – Parapsicólogo Clínico.

Contamos também com vocês na contínua dedicação para que a nossa profissão não só seja reconhecida por inúmeras pessoas, diferentes claSISTEMA GRISAe diferentes profissões pelos inúmeros benefícios proporcionados, pelo SISTEMA GRISA e seus profissionais; Parapsicólogoiante dos órgãos oficiais e instituições governamentais; como pelo Sindicato dos Parapsicólogos Clínicos do Estado de Santa Catarina – SINPASC – a profissão já foi reconhecida junto ao poder executivo e ao poder judiciário ao ser registrado o SINPASC junto ao Ministério do Trabalho pelo número 46.000.002308/98-13

Contudo, para que uma nova profissão possa ser valorizada e justificada, algumas condições são indispensáveis:

  1. Que haja campo específico de atuação;
  2. Que haja uma nova ciência, nova teoria, novos métodos ou técnicas que justifiquem a necessidade de formação de um novo profissional, tendo destacada relevância no universo dos conhecimento e para responder as necessidades sociais.;
  3. Que haja profissionais competentes e já atuantes que demonstrem o valor e a importância da nova profissão;
  4. Que sejam estabelecidos currículos e cursos sejam criados, que preconizem e viabilizem a formação dos novos profissionais.

Vocês, caopistas, ceopistas e parapsicólogos Clínicos já formados, são os nossos companheiros de pioneirismo, desse pioneirismo audaz e atrevido que visa contribuir para construir um mundo melhor e despertar uma espécie humana mais feliz.

Por isso tudo, caopistas, convido-os, mais uma vez, a erguer a cabeça altiva dos pioneiros atrevidos, expulsando sempre o medo dos medíocres e o egoísmo dos fracos, mas tendo sempre o cuidado da responsabilidade, da eficiência e dedicação, inspirando-se na luz da Sabedoria, que brilha na perene Vibração Evolutiva e Harmônica do Universo, reflexo perceptível de seu Criador, lembrando sempre que a busca contínua da evolução e da harmonia difere da mesquinha e estéril mania de perfeição. Um mundo cheio de desafios espera por seu coração audaz e amável.

A fim de melhor entender o SISTEMA GRISA, em sua amplitude e profundidade, convém relatar alguns passos percorridos pelo fundador do IPAPPI e mentor do SISTEMA GRISA, Dr. Pedro Antonio Grisa.